Membros

Foto Prof. MiaMaria Cardeira da Silva

Doutorada em Antropologia em 1996, é docente da FCSH-UNL onde tem sido responsável, desde 1988, pelas áreas relativas aos contextos árabes e islâmicos. É membro do CRIA e investigadora coordenadora e participante de vários projetos – entre os quais duas edições do projeto “Castelos a Bombordo” (FCT), de que resultou o livro “Castelos a Bombordo: Etnografias de Patrimónios Africanos e Memórias Portuguesas” (Lisboa, CRIA, 2013). Tem-se debruçado sobre as práticas e retóricas da cooperação cultural, o turismo e os efeitos da monumentalização do património de origem portuguesa, particularmente em Marrocos e na Mauritânia, e do Património Judeu em Marrocos. Interessa-se atualmente por questões de Islamofobia, políticas públicas europeias e nacionais relativas ao Islão e usos do património de origem islâmica na Europa. É actualmente membro da equipa do projecto Hera “The heritagization of religion and the sacralization of heritage in contemporary Europe” (HERILIGION) e consultora da ERC Starting Grant CAPSAHARA – critical approaches to politics, social activism, and Islamic militancy in the Western Saharan Region. Trabalhou também sobre questões de género e Islão. É autora de “Um Islão Prático” (Oeiras, Celta Editora, 1999), resultante da sua investigação sobre identidades de género e o quotidiano das mulheres de um bairro na medina de Salé (Marrocos), onde viveu dois anos. Dinamiza atualmente a rede Orientalismos Periféricos, uma rede internacional emergente instigada pelo crescimento da Islamofobia na Europa do Sul e América Latina (Revista de Estudios Internacionales Mediterráneos, 2016, 21: 1-117, “Southern insights on the Orient and Western Orientalisms”, 21: 1-11.).

Maria Cardeira da Silva, Professor at Universidade Nova de Lisboa, is an anthropologist interested in Arabic and Islamic contexts, and in the Anthropology of Tourism and Heritage. She has conducted ethnographic fieldwork in the medina of Salé, and later on in Portuguese historical sites like Mazagão and Azzamor (Morocco), Ouadane (Mauritania) and Mazagão (Amapá, Brasil), under the scope of several research projects on heritage, tourism and cultural cooperation. She is the author of “Um Islão Prático” (A practical Islam: women daily performances in urban Moroccan context, Oeiras, Celta, 1999), editor of “Outros Destinos” (Other destinations: new sites for tourists, new fields for anthropology, Lisbon, Livros Horizonte, 2004), of “Castelos a Bombordo: Etnografias de Patrimónios Africanos e Memórias Portuguesas” (Castles Abroad: African ethnographies and Portuguese memories, Lisbon, CRIA, 2013), and co-editor, with Clara Saraiva, of “The Jill Dias Lessons: Antropology, History, Africa, Academia” (Lisboa, CRIA, 2013). In 2008 she was awarded the prize Lazio tra Europa e Mediterraneo – Regione Lazio, Fondazione Casa delle Regioni del Mediterraneo.

 

 

Foto Francisco FreireFrancisco Freire

Francisco Freire é Doutor em Antropologia (FCSH-UNL, 2009) e Mestre em Antropologia: Colonialismo e Pós-colonialismo (ISCTE, 2003). Entre 2009 e 2015 desenvolveu o projeto de pós-Doutoramento “A pertinência dos idiomas tribais nas sociedades muçulmanas contemporâneas” (sob a supervisão de de Abdel Wedoud Ould Cheikh [CNRS] e Maria Cardeira da Silva [FCSH-UNL]), com financiamento da FCT através de uma bolsa de pós-doutoramento (SFRH/BPD/47681/2008). Tem, desde 2001, centrado a sua investigação na República Islâmica da Mauritânia, trabalhando o islão político, os processos de reconfiguração histórica e identitária da população bidan, e, mais recentemente, a articulação contemporânea das esferas tribais saarianas. De entre as suas publicações mais recentes, destaca-se “Saharan Migrant Camel Herders: Znaga Social Status and the Global Age”, The Journal of Modern African Studies, 52 (3), 2014: 425-446 (2014); “Portugal (ainda) nos confins saharianos: leituras identitárias sobre três tribos do litoral da Mauritânia”, em M. Cardeira da Silva (ed.), Castelos a Bombordo (Lisboa, CRIA, 2013); “Le dernier « émir » Taghridjant de Keur Macène. Autorités discordantes dans le Sud-Ouest Mauritanien”, pp. 283-297, em Sébastian Boulay e Bruno Lecoquierre (orgs.), Le littoral mauritanien à l’aube du XXIème siècle, Paris, Karthala, (2011); “The ‘Narziguas’, Forgotten Protagonists of Saharan History”, Islamic Africa 2 (1), 2011: 35-65.

My career started as a junior researcher affiliated with different Luso-Moroccan projects (2001-2002) based on the Moroccan Atlantic front.  At post-graduate level my focus shifted south, to the western Saharan region, where I consolidated my interest in contemporary Muslim contexts. Most of my research outputs have focused on the social landscape formed by this region’s arabophone population (speakers of Hassaniyya). The work I have presented during the last decade explores the “traditional” Saharan society, as well as the importance of contemporary global connections (of people and ideas), which position this particular geography as an integral actor of globalized Islam.

During my initial research in Mauritania (2002-2003) I focused on the restructuring of Saharan Islamic spheres after 9/11. Islam, a pivotal element in the study of this region, had been rarely treated by recent scholarship, and the expertise I then gained was fundamental for my integration in different academic research networks. From 2004 to 2008, extensive fieldwork in Mauritania provided the material for my doctoral thesis. Throughout this period I challenged the ‘classic’ ethnographic topics which have anchored most of the research carried out in the western Saharan region (tribe, genealogy, kinship, social status, Islam). The debate I proposed in my PhD was theoretically centered on these questions: the contemporary articulation of ‘classic’ anthropological topos in Islamic contexts.

My postdoctoral research (2009-2013; SFRH / BPD / 47681 / 2008) has more recently anchored my career (under the scientific supervision of A. W. Ould Cheikh [Paris-CNRS] and M. Cardeira da Silva [Lisbon-FCSH-UNL]). This research, centered on the compatibility between “tribal” narratives and contemporary political spheres, has informed my most recent research.

 

Foto Joana Lucas

Joana Lucas

Doutorada em Antropologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL), com a dissertação “Entre “o céu e a areia”: turismo, viagens e expedições. Mapenado discursos e práticas sobre a Mauritânia”, tendo sido bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. É também licenciada em Antropologia pela FCSH-UNL e Mestre em Antropologia: Multiculturalismo e Identidades pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, onde apresentou a dissertação “Um serviço de chá e um kit GPS: reconfigurações identitárias e outros desafios entre os Imraguen da Mauritânia”. Fez trabalho de campo na Mauritânia (Parc National du Banc d’Arguin e Nouakchott) e Marrocos. É membro do CRIA desde 2007 e é actualmente bolseira de pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Desenvolve presentemente uma pesquisa sobre a patrimonialização da “Dieta Mediterrânica”, tomando como estudos de caso as localidades de Tavira (Portugal) e Chefchaouen (Marrocos).

Publicações:

s200_jos_.mapril

José Mapril

Obteve o seu doutoramento em Antropologia no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, com uma pesquisa sobre transnacionalismo e Islão entre bangladeshis em Lisboa. Entre 2008 e 2012, foi investigador de pós-doutoramento no CRIA e, em 2009, um investigador visitante no departamento de Global Studies, Universidade de Sussex. Desde 2012, é professor auxiliar convidado no departamento de Antropologia da FCSH-UNL e investigador integrado no CRIA-FCSH/UNL. Juntamente com João Leal, coordena, no âmbito do CRIA, o grupo de investigação Circulação e Produção de Lugares. Os seus principais interesses de investigação são transnacionalidades, migrações, diásporas, subjetividades, cidadania cultural, Islão(s) e Muçulmanos, Islamofobia e secularismos, interesses estes que têm sido abordados através etnografias multi-situadas em Portugal, Bangladesh e Reino Unido.

Publicações:

???????????????????????????????Raquel Carvalheira

Doutorada em Antropologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, a sua pesquisa centrou-se nas transformações da vida e organização familiar em Marrocos, com particular atenção à mudança de expectativas de jovens mulheres em relação ao matrimónio. Tem colaborado como investigadora em vários projectos de pesquisa, como “Castelos a Bombordo II: Práticas e Retóricas de Monumentalização do Passado Português, Cooperação Cultural e Turismo em Contextos Africanos” (PTDC/ANT/67235/2006), “MERAP-MED. Memórias religiosas e ação patrimonial no Mediterrâneo. Coexistência confessional e afirmação patrimonial” (PTDC/IVC-ANT/4033/2012) e recentemente conduziu uma etnografia na Agência Portuguesa do Ambiente no âmbito do projecto “O Estado por dentro: uma etnografia do poder e da administração pública em Portugal” (FFMS/ESTADO/2015)

Raquel Carvalheira hold a PhD in Anthropology at Institute of Social Sciences, University of Lisbon. Her research project focuses on gender and family dynamic in Morocco. Cultural and religious heritage practices on Arab countries have also been a part of her academic research through projects as “Portuguese Castles aboard II. Heritage, Tourism and Portuguese Cultural Cooperation in African Contexts” (2008), coordinated by Professor Maria Cardeira da Silva and “Merap-Med Religious Memories and Heritage Practices in the Mediterranean. Confessional Coexistence and Heritage Assertion” (in 2014) coordinated by Professor Cyril Isnart.

Publicação

 

Carvalheira, Raquel Gil, 2016. “Changing family strategies in contemporary Morocco: women’s stories, persistent ideologies and matrimonial strategies”, Ethnologia Europæ 46:1,pp 58-75

Carvalheira, R. Gil et al. 2016. O Perfil do Antropólogo em Portugal. Relatório 2016, Associação Portuguesa de Antropologia. Organizado e redigido por Marina Pignatelli.

Carvalheira, Raquel. 2014. “Women’s marital expectations and feminist activism in Morocco: Is this the same road?”. Gender, Sexuality and the Body: critical perspectives, Estudos e Relatórios, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Carvalheira, Raquel e Joana Lucas. 2013. “Contradições e desafios entre os Imraguen da costa atlântica mauritana. Entre as reconfigurações identitárias e a gestão participativa” in M. C. da Silva (coord), Castelos a Bombordo, Etnografias de Patrimónios e Memórias Portuguesas, Centro em Rede de Investigação em Antropologia, Lisboa

Carvalheira, Raquel. 2011. “Uma história do basquetebol em Portugal”. In José Neves & Nuno Domingos (coord.), Uma história do desporto em Portugal, Vol. III. Vila do Conde: Quidnovi

Carvalheira, Raquel et al. 2010. “Muçulmanos nas suas cidades”, Co-autoria. Fundação Calouste Gulbenkian, Programa Futuro Próximo, Centro em Rede de Investigação em Antropologia. Coordenação de: Maria Cardeira da Silva

Carvalheira, Raquel e Rahul Kumar. 2009. “A Questão Cigana”. Le Monde Diplomatique, edição portuguesa, II Série, n.º 30, Abril de 2009

Carvalheira, Raquel. 2008. “El camino de los lenguajes asociativos en Mauritania: la diversidad cultural como instrumento”, Revista de Estudios Internacionales del Mediterráneo- REIM – nº 6/7 (setiembre/diciembre 2008), pp.97-106.

Carvalheira, Raquel e Joana Lucas. 2005. “Gestionando Identidades y Espacios – el pueblo de Arkeiss y la racionalización del fenómeno turístico en el contexto de un parque nacional en Mauritania”, in José Fernández y David Florido del Corral (coord) ¿Protegiendo los recursos? Áreas protegidas, poblaciones locales y sostenibilidad. Sevilha: Fundación El Monte

 

 

s200_nuno.moraNuno Mora (CRIA/FCSH-UNL) licenciado em Arquitectura pela Universidade Técnica de Lisboa (FAUTL) e doutorando en Antropologia no Departamento de Antropologia da Universidade Nova de Lisboa (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas), encontra-se ligado ao Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA). A sua pesquisa, sob a supervisão de Maria Cardeira da SIlva, professora na Universidade Nova de Lisboa, toma por foco de análise os bairros judeus (mellah) de Marrocos. É membro do projecto PTDC/IVC-ANT/4033/2012 – MERAPMED “Religious Memories and Heritage Practices in the Mediterranean. Confessional Coexistence and Heritage Assertion” do CIDEHUS/ Universidade de Évora.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s